Obras em encostas de São Vicente, atingidas pela chuva, são iniciadasReprodução/Santa Cecília TV

ENCOSTAS - Começaram na última segunda-feira (28) as obras nas encostas de São Vicente, atingidas no temporal de 3 de março. A primeira fase para a recuperação do local ocorre no Parque Prainha. De acordo com informações da Administração Municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedup), a primeira parte dos trabalhos consiste na realização de sondagens, topografia e retirada de escombros do terreno.

Chefe do gabinete da Sedup, Christian José Nogueira de Souza, afirma que além do Parque Prainha, as obras no Município ocorrem em mais três pontos do Morro dos Barbosas, também atingido pelo temporal.

“Aqui vai começar com limpezas em pequenas contenções e depois a demolição daquela residência que tem acima. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos em fevereiro, mas queremos terminar antes do prazo porque se trata de uma emergência”, explicou.

O imóvel que será demolido, segundo o chefe do gabinete da Sedup, pertencia a um casal de idosos que morreu no início do ano, após o deslizamento de solo.

“A gente fala demolição, mas essa casa vai ser desmontada, porque não se pode demolir. Colocar tudo abaixo vai acabar causando um outro acidente. Então faremos a desmontagem por partes até chegar na fundação”, explica. 

Ainda conforme Souza, apesar da necessidade em se concluir o quanto antes os trabalhos no local, neste tipo de obra é necessário cautela. “Neste tipo de obra, velocidade é algo que a gente não trabalha. Vamos trabalhar com muita cautela, contendo esse material solto. Ontem o pessoal já estava fazendo a limpeza na parte de cima. Tem muito material solto e essa rocha vai ser contida, para depois, com um maquinário mais pesado, ser desmontada”, explica.

noticia2020929208965.jfif

Foto: Reprodução/Santa Cecília TV

Morador da região há mais de 30 anos, o caseiro Antônio Clemente dos Santos, comemora o início dos trabalhos na região atingida pela forte chuva do início do ano. Segundo ele, que conhecia o casal que faleceu após o deslizamento do solo, em todos esses anos, ele nunca havia presenciado nenhuma ocorrência tão grave como a de março deste ano.

“Vi descer essa terra todinha. A dona Ana e o esposo vinham descendo para fugir, mas quando chegaram aqui embaixo não deu mais tempo. [...] As obras realizadas agora vão deixar a região mais segura”. 

Após a primeira fase de limpeza na região das encostas, segundo a Prefeitura de São Vicente, será realizado o processo de estabilização da encosta, que consiste no grampeamento do solo e a injeção de concreto projetado.

Com o objetivo de dar mais estabilidade ao terreno, serão feitas a perfuração, inserção de chumbadores (barras com aproximadamente 20 milímetros de diâmetro, com comprimento que pode variar entre 10 e 12 metros) e a injeção de nata de cimento. Na sequência, será colocada uma tela sobre os chumbadores e aplicado concreto projetado.

Deslizamentos 

O temporal que atingiu a região da Baixada Santista no início do ano deixou 45 mortos nas cidades de Santos, São Vicente e Guarujá. Dois bombeiros morreram enquanto buscavam as vítimas.

Em São Vicente, dois idosos morreram na região do Parque Prainha. Além deles, um terceiro, que estava em uma clínica de repouso particular, na Vila Valença, morreu quando o chão de um cômodo cedeu com a forte chuva.