Mudança no sentido de vias do SAI prejudica mobilidade de moradores da regiãoReprodução/Santa Cecília TV

TRÂNSITO - As recentes mudanças no sentido de vias no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), que provocaram alterações no trânsito da entrada e saída dos bairros São Manoel e Piratininga, no projeto da nova entrada de Santos, tem prejudicado a mobilidade de moradores na região.

A Marginal da Via Anchieta, nos trechos dos bairros São Manoel, em Santos, e Casqueiro, em Cubatão, sempre teve duas mãos. No entanto, com a alteração, a partir de um trecho, passou a ter sentido único em direção a Santos. A mudança tem confundido motoristas que passam pelo local. 

O montador Marcos da Silva foi um dos motoristas flagrados pela Reportagem surpreendido com a mudança viária. “Eu imaginava que tinha acesso para o Casqueiro, mas não tem. Como faço agora? Como resolvo essa situação? A sinalização lá na frente está sem saída. Porém não dá informação para ter acesso e chegar ao Casqueiro”, lamentou.

Quem também se queixa é o aposentado Sérgio de Oliveira, que após se deparar com a mudança viária, foi obrigado a retornar ao bairro da Alemoa, na entrada de Santos.

“Vou tentar voltar denovo para a Alemoa e ver como faço. Vou ter que pegar a Anchieta e provavelmente não vai ter acesso perto. Vou ter que pegar a rodovia, ir lá na entrada de Santos, próximo ao Cemitério do saboó, para fazer a volta e conseguir pegar para a Anchieta”, lamentou. 

O fim da mão dupla também prejudicou o deslocamento de quem precisa ir para o Casqueiro e Centro de Cubatão. “Não pensaram na nossa mobilidade, sentido Casqueiro. É um direito de ir e vir. Agora a gente tem que ir lá embaixo para retornar. Se passa mal alguém aqui, tem que correr na Santa Casa ou fazer esse retorno todo. Antes em cinco minutos eu chegava no Casqueiro, que tem uma UPA 24h, e agora a gente não consegue mais fazer isso”, se queixou o assistente administrativo, Manoel da Silva.

O operador Paulo David Nascimento mora há 20 anos no São Manoel e trabalha em Cubatão. Ele afirma que hoje, com a mudança, é necessário que o motorista dirija por aproximadamente 8 km, afetando a mobilidade urbana.

“O bairro outrora tinha dois acessos, tanto para quem ia para Santos quanto para quem ia para Cubatão. Agora ficou um acesso para entrada e outro para saída. Para você retornar para pegar a Anchieta, sentido Cubatão Planalto, ou a Via Bandeirantes, você tem que andar aproximadamente 8 km. Isso vai gerar atraso, consumo de combustível e vai afetar de certa forma a mobilidade urbana”.

Moradores também se queixam que após as obras, as linhas intermunicipais dos ônibus não passam mais pelo bairro. "Eles tiraram a linha de ônibus que entrava aqui. Só está esse outro que é da Prefeitura. Tem que tomar providência porque nós não vamos abaixar a cabeça”, lamentou a empregada doméstica, Maria Laura de Souza Ferreira, usuária do transporte público.