Alesp aprova suspensão do IPVA de veículos novos durante pandemia e situações emergenciaisDivulgação/Agência Brasil

SÃO PAULO - Com a suspensão dos atendimentos presenciais do Detran, em virtude da pandemia, os veículos novos não estão sendo emplacados, o que impossibilita o pagamento do IPVA desses automóveis. Para evitar multas nesses casos e outras situações excepcionais que possam surgir, a Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira (7), o Projeto de Lei 424/2020, de autoria do governador, que permite a prorrogação ou suspensão dos prazos de pagamento do imposto em situações extraordinárias.

A aprovação do projeto se deu em sessão extraordinária da Alesp ocorrida em ambiente virtual presidida pelo deputado Cauê Macris (PSDB), presidente da Alesp, com 80 votos favoráveis e nenhum contrário.

De acordo com o projeto, caberá ao Secretário da Fazenda e Planejamento autorizar a suspensão ou prorrogação dos prazos do imposto. Não se trata de dispensa do pagamento do IPVA, e sim de adequação ao momento de pandemia.

Para a deputada Leticia Aguiar (PSL), o projeto é adequado. “Entendo ser um assunto muito importante para a população, haja vista esse período de calamidade pública”. Porém, alguns parlamentares sugeriram que o assunto continue a ser debatido na Casa. Os deputados Sargento Neri (Avante) e Adalberto Freitas (PSL) haviam protocolado uma emenda de plenário onde pedem a prorrogação da taxa de vistoria semestral dos veículos de transporte escolar. “Esses profissionais estão sem trabalhar durante a pandemia”, ressaltou Neri.

Na prática, a votação do projeto original no dia de hoje ficaria suspensa. O líder do governo na Alesp, deputado Carlão Pignatari, solicitou aos autores a retirada da emenda e afirmou que solicitará essa prorrogação administrativamente ao presidente do Detran. “Eles não trabalharam no primeiro semestre. É um pleito justo”, declarou Pignatari.

O projeto agora segue para sanção do governador João Doria.