Com funcionamento parcial, igrejas e tempos religiosos são liberados em SantosDivulgação/Prefeitura Municipal de Santos
SANTOS - Em decreto publicado no Diário Oficial de Santos desta sexta-feira, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa anunciou o funcionamento parcial e condicionado de igrejas e templos de qualquer culto em Santos. O descumprimento das normas estabelecidas causará suspensão imediata de autorização para funcionamento e interdição do local.

Dentre as normas destinadas aos locais, a limitação é de 30% da capacidade, terá de ser exigido o uso de máscara facial de frequentadores, funcionários, empregados, dirigentes, autoridades, colaboradores ou prestadores de serviços, de se limitar o ingresso ou permanência de um frequentador a cada 10 metros quadrados de área construída do imóvel.

Outras obrigações são a respeito da disponibilização de meios adequados para higienização das mãos, como água e sabão ou álcool em gel, na entrada e saída do estabelecimento, bem como no interior do estabelecimento para uso dos frequentadores, além de aferir a temperatura corporal de frequentadores, funcionários, empregados, dirigentes, autoridades, colaboradores ou prestadores de serviços, os quais ficarão impedidos de ingressar ou permanecer na igreja ou templo se apresentarem temperatura corporal superior a 37,5ºC, hipótese em que devem ser orientados a procurar os serviços de saúde.

O estabelecimento tem de ser mantido limpo, o ambiente ventilado e arejado e remover o lixo de forma segura, pelo menos três vezes ao dia, limpeza especial e desinfecção frequentes das superfícies mais tocadas têm de ser feitas, reforçar as ações de limpeza e desinfecção dos sanitários e restringir o número de entradas, inspecionar as pessoas em circulação para identificar possíveis sintomas e fornecer aos empregados, funcionários, colaboradores, dirigentes, autoridades e prestadores os equipamentos necessários à sua proteção individual, como máscaras, luvas, água e sabão, álcool em gel, entre outros.

Promover a divulgação de informações de boas práticas entre os frequentadores, empregados, funcionários, colaboradores, dirigentes, autoridades e prestadores também estão entre as obrigações, assim como esclarecer a todos as regras e o Protocolo a serem cumpridos, reduzir o horário das refeições nos refeitórios e aumentar o espaçamento entre as mesas e cadeiras, além de informar aos empregados, funcionários, colaborares, dirigentes, autoridades e prestadores sobre as condições que levam ao afastamento do trabalho presencial.

Já os frequentadores das igrejas e templos religiosos devem usar obrigatoriamente máscara facial, higienizar frequentemente as mãos com água e sabão, álcool em gel 70% ou outros meios eficazes, além de manter, pelo menos, 1,5m (um metro e meio) de distância entre as pessoas.