Vacina de Oxford é a mais avançada em desenvolvimento, atesta OMSReprodução
CORONAVÍRUS - A vacina contra a Covid-19 pesquisada pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, e pela empresa AstraZeneca é a que está mais avançada em termos de desenvolvimento, segundo a Organização Mundial de Saúde. Ela entrou na terceira fase, enquanto outras estão na segunda.

No entanto, um resultado final ainda pode levar meses e a própria OMS evita prazos. Algumas pesquisas, por exemplo, vão demorar de 12 a 18 meses para examinar os resultados da terceira fase.

O acordo no Brasil com os britânicos prevê compra de lotes da vacina e da transferência de tecnologia. Em caso de eficácia, 100 milhões de doses serão adquiridas. No País, é a Unifesp quem lidera o processo

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 17 vacinas encontram-se atualmente em fase de testes clínicos e são acompanhadas pela agência de saúde. O anúncio, feito por Soumya Swaminathan, cientista da OMS, aconteceu após dois dias de reuniões da agência com 1300 cientistas de 93 países.

Outra vacina que caminha para a terceira fase de testes é a Coronavac, parceria do Instituto Butantan, de São Paulo, e o laboratório chinês Sinovac Biotech. Serão recrutados 9 mil voluntários possivelmente a partir da próxima semana.