Ciclone extratropical provoca ventos fortes e chuva nesta sexta em Santos e regiãoArquivo/#Santaportal

CLIMA - O ciclone extratropical que está se formando no oceano, na altura da região sudeste, deve provocar ventos fortes e muita chuva nas cidades da Baixada Santista. Apesar do mau tempo, o Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Unisanta tranquiliza a população: não são esperadas ressacas na região da Baixada Santista.

O boletim da Marinha informa que são esperados ventos fortes e mar agitado entre o estado de Santa Catarina, ao Norte de Laguna (SC), até o estado do Rio de Janeiro, ao Sul de Arraial do Cabo (RJ).

De acordo com especialistas, a formação do ciclone está associada ao estabelecimento de uma zona de convergência sobre uma região em que a temperatura da superfície do mar está entre 26º C e 27º C. Além disso, os ventos podem ocasionar uma agitação marítima, resultando em ondas de direção de Sudeste a Leste e altura entre 3 e 4 metros em alto-mar, na região que será atingida pelo ciclone subtropical.

NPH
O Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas (NPH) Unisanta informou que, apesar da possibilidade de formação de um ciclone subtropical na região oceânica, a previsão é de agitação marítima moderada na Baía de Santos.

Na região costeira da Baixada Santista, a previsão é de ondas do quadrante sudeste de até 2,5 metros de altura, já na Baía de Santos as ondas não devem ultrapassar os 2 metros e perdem intensidade quando chegam à costa de Santos e São Vicente devido a essa direção de sudeste. Além disso, o nível do mar não será muito elevado.

Na região da Ponta da Praia, a maré deve ficar em torno de 1,45m na tarde de sexta-feira (às 14h30) e 1,5m na madrugada de sábado (às 3h), muito próximas da previsão da tábua de marés.

De acordo com o Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações de Santos, o estado é de observação devido à previsão de ondas abaixo de 2,0m, nível do mar abaixo de 1,8m e ventos abaixo de 40 Km/h.

O NPH-Unisanta destaca que se a previsão se mantiver não devem ocorrer impactos nas estruturas urbanas devido à ação das ondas ou mesmo alagamentos devido à ação exclusiva da maré.

Curtiu a notícia? Curta nossa página  no Facebook para continuar bem informado!