Delator diz: R$ 2 milhões foram entregues ao PT como propina por torre da Petrobras na Bahia


8 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 14/01/2020 às 22:28
Delator diz: R$ 2 milhões foram entregues ao PT como propina por torre da Petrobras na Bahia Tânia Rêgo/Agência Brasil

LAVA JATO - O empresário Alexandre Andrade Suarez delatou para a Operação Lava Jato a entrega de R$ 2 milhões em espécie na sede do Partido dos Trabalhadores na capital paulista, destinados ao então tesoureiro da sigla, João Vaccari Neto. De acordo com a delação, o acerto de propina envolvia a construção da Torre Pituba, na sede da Petrobras em Salvador.

Suarez é irmão de um dos fundadores da construtora OAS e a sua delação foi anexada ao processo da Justiça Federal na noite de ontem. O acordo foi homologado pelo juiz Luiz Antônio Bonat.

Ele foi alvo da 56ª fase da Lava Jato, deflagrada em novembro de 2018. O empresário, que ficou preso em Curitiba por um mês, é réu por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, organização criminosa, gestão fraudulenta e desvio de recursos de instituição financeira na ação.

No depoimento que prestou para a Justiça, Suarez afirmou que houve um acerto entre a Mendes Pinto Engenharia e ex-diretores da Petrobras e da Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros), para que a empresa fosse beneficiada visando à construção de Pituba a partir do pagamento de R$ 9,6 milhões em propina.

Em seu relato, o empresário conta que ex-diretores intermediram um encontro entre o representante da Mendes Pinto e Vaccari Neto. Suarez informou ainda que o ex-tesoureiro teria determinado que a propina fosse repartida em três partes iguais: o PT nacional, o PT da Bahia e a Petros.

Por meio de nota, o partido afirma que essa se trata de “mais uma denúncia fantasiosa, sem sentido e sem provas que visa atingir o PT”.