"Meu pai não era morador de rua", diz filha de homem que morreu atropelado por trator


12 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 14/01/2020 às 18:07
"Meu pai não era morador de rua", diz filha de homem que morreu atropelado por trator Reprodução/Arquivo Pessoal

PRAIA GRANDE - A família de Robson Marcondes Salgado, de 48 anos, se manifestou pela primeira vez após a morte do pintor, que morreu seis dias após ter sido atropelado por um trator na orla de Praia Grande.

Segundo Joyce Salgado, de 23 anos, filha de Robson, o pai tinha um emprego fixo como pintor e, para complementar a sua renda, fazia um bico como catador de latinhas durante a noite. Ele morava em uma casa no bairro Vila Sônia, também em Praia Grande.

Por isso, a família ficou indignada com comentários que teriam apontado a vítima como um morador de rua. “Ele trabalhava de pintor de segunda à sexta-feira. Nos finais de semana ele pegava latinha e vendia água para completar a renda da família. Ele tinha a casa dele, era casado e tinha dois filhos, além de uma neta. Meu pai não era morador de rua”, disse Joyce, em entrevista ao #Santaportal.

De acordo com a filha de Robson, como trabalhava o dia todo, ele tinha o costume de descansar na areia da praia enquanto recolhia o material reciclável pela orla de Praia Grande.

Família ficou dias sem notícia
O homem foi atropelado na orla do bairro Aviação, na noite do dia 5, mas a família ficou dias sem notícias dele e começou a buscar informações pelo paradeiro de Robson. 

Robson sofreu ferimentos graves no rosto e, depois de seis dias internado no Hospital Irmã Dulce, ele veio a óbito no último sábado. No entanto, os familiares só ficaram sabendo onde ele estava um dia após a sua morte. “Nós só ficamos sabendo no domingo, por meio de um amigo dele, que era nosso vizinho. Esse amigo havia emprestado a bicicleta para o meu pai ir até a praia catar latinha. O rapaz notou a demora dele e foi atrás de informações, até conseguir localizá-lo”, contou a filha da vítima.

Em nota, o Irmã Dulce informou que Robson chegou sem documentos e durante o tempo de internação ninguém da família procurou o hospital. Depois que ele morreu, o corpo foi encaminhado ao IML de Praia Grande.

Prefeitura acompanha o caso
Sobre o acidente, a Prefeitura de Praia Grande havia informado que a limpeza da faixa de areia na cidade, durante a alta temporada, é realizada imprescindivelmente e somente no período noturno, justamente para evitar qualquer tipo de acidente, tanto que nenhuma ocorrência nesse sentido havia sido registrada.

Ainda de acordo com a Administração Municipal, o profissional que dirigia o trator é um funcionário concursado, devidamente habilitado. O homem estaria deitado em meio a sacos de lixo de cor preta, acumulados durante o dia, o que dificultou a visibilidade.

A Prefeitura garantiu ainda que está acompanhando toda a ocorrência para tomas as medidas cabíveis.

noticia202011450943.jpg
Reprodução/Arquivo Pessoal