Prefeitura fará bloqueio contra o sarampo em salas de duas escolas do Embaré


6 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 11/08/2019 às 17:07
Prefeitura fará bloqueio contra o sarampo em salas de duas escolas do Embaré Rogério Bonfim/Divulgação Prefeitura de Santos

SANTOS - A Secretaria Municipal de Saúde de Santos, com apoio da Seduc (Educação), vai realizar na tarde desta segunda-feira (12) o bloqueio vacinal contra o sarampo voltado para 70 alunos de duas salas de escolas municipais no Embaré, após a suspeita da doença em dois estudantes da região. Na Escola Florestan Fernandes (Rua Oswaldo Cóchrane, nº 91) a vacina será aplicada em 37 alunos; já na Cidade de Santos (Av. Senador Dantas, nº 410) serão 33 alunos imunizados.

A direção da escola, com auxílio do Programa Saúde na Escola (PSE), enviou avisos aos pais e responsáveis para que autorizem a imunização na própria escola e também levem as carteiras de vacinação para o registro das doses.

As suspeitas da doença foram notificadas em um adolescente de 14 anos, morador do bairro Aparecida (aluno da Florestan), e em uma criança de sete anos, residente no Embaré (aluna da Cidade de Santos). Ambos estão em isolamento social nas suas residências, já tendo sido realizados os bloqueios vacinais nos familiares próximos.

De acordo com os novos protocolos de bloqueio informados pelo Ministério da Saúde, a partir de agora a vacinação contra a doença já é realizada nas pessoas que tiveram contato próximo com o paciente a partir da suspeita da doença – antes, isso ocorria apenas quando havia a confirmação de sarampo.

As amostras dos pacientes estão em análise no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência do governo estadual. Quando confirmado o sarampo, o bloqueio é ampliado para mais pessoas como a quadra onde ela reside, escola e local de trabalho ou curso, de acordo com cada caso e o que é apontado pela investigação epidemiológica.

Número de casos entre residentes cai para quatro
Após o surto de sarampo ocorrido em tripulantes do navio de cruzeiro MSC Seaview, que fez escalas no Porto de Santos nesta temporada, houve a confirmação de sete casos da doença na Cidade, sendo quatro deles de residentes de Santos. “A Seviep (Seção de Vigilância Epidemiológica) concluiu nesta semana a investigação destes casos e atualizou as informações nos bancos de dados de Vigilância em Saúde dos governos estadual e federal”, explica a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde (Devig) de Santos, Ana Paula Valeiras.

Do total de casos, foram três relacionados ao navio: um passageiro (morador do Gonzaga), uma servidora municipal que participou da investigação epidemiológica (da Pompeia) e uma médica que atendeu paciente com a doença (morava no Gonzaga e mudou para o Rio de Janeiro). O outro caso considerado de residente foi de uma criança de cinco anos, moradora do Embaré, sem relação direta com o navio confirmada.

Em outros três casos foram identificados que os locais de residência são as cidades de São Paulo (dois casos) e Santo André (um) – este último exigiu bloqueio vacinal na última terça-feira (6) no local onde moram os pais do paciente. Sobre os outros dois pacientes, seus pais também residem na Cidade, sendo necessários os bloqueios vacinais pelas vindas e presença durante o período de transmissibilidade da doença.

7 casos confirmados na Cidade: 
Residentes de Santos (4 casos)
- Homem, 22 anos, morador do bairro Gonzaga (passageiro do navio MSC Seaview).
- Mulher, 56 anos, moradora do bairro Pompeia (enfermeira participou da investigação epidemiológica no navio).
- Mulher, 25 anos, então moradora da Cidade e mudou para RJ (médica atendeu passageiro doente).
- Criança (fem.), 5 anos, moradora do bairro Embaré.

Outras cidades (3 casos)
- Mulher, 22 anos, morador de São Paulo (pais moram no bairro Boqueirão, Santos).
- Homem, 33 anos, morador de São Paulo (pais moram na Vila Belmiro, Santos).
- Homem, 20 anos, morador de Santo André (pais residem no José Menino, Santos).

Estado orienta vacinação de bebês
A Secretaria de Estado da Saúde anunciou na última sexta-feira (9) que a partir desta semana a vacinação contra o sarampo de crianças de seis meses a menores de um ano de idade (11 meses e 29 dias) deve ser realizada em 39 cidades onde há casos da doença. Entre os municípios estão Santos, Praia Grande e Peruíbe na Baixada Santista.

Em Santos, a vacinação pode ser feita a partir desta segunda nas policlínicas da Cidade, sempre das 9h às 16h. Esta dose D (ou zero) não substitui as doses contra o sarampo previstas no Calendário de Vacinação. A primeira dose é dada aos 12 meses de idade e, a segunda dose, aos 15 meses. Depois de tomar a doze zero, é preciso um intervalo de 30 dias para a aplicação da primeira dose, no caso de crianças que estão com 11 meses de vida.

As demais pessoas devem observar se têm o esquema completo em suas carteiras de vacinação. Quem tem até 29 anos de idade deve ter tomado durante a vida duas doses da vacina; de 30 a 59 anos, pelo menos uma dose; e, acima de 60 anos, não precisa ter tomado a vacina, pois já teve contato com o vírus.