FÓRUM - O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, será uma das autoridades presentes no 1º Fórum de Debates Porto & Negócios - "O Porto e a Ligação Seca entre Santos e Guarujá", promovido pelo Sistema Santa Cecília de Comunicação. O evento será realizado na próxima segunda-feira (12), a partir das 19h30, no Teatro Coliseu, em Santos. As inscrições para o Fórum já estão esgotadas. Veja a participação de Paulo Alexandre no Caderno Regional da última sexta-feira no vídeo acima.

Para o chefe do executivo santista, a iniciativa do Sistema Santa Cecília de Comunicação é de grande importância para o futuro da região. “Temos que parabenizar o Sistema Santa Cecília de Comunicação por trazer esse debate, ouvir todos os envolvidos, tanto a comunidade portuária, como as autoridades em nível federal, estadual e aqui no município, para que possamos juntos construir uma solução que garanta a execução de algum projeto. Me preocupa quando eu ouço que esse é melhor do que aquele. Nós não podemos deixar de fazer (a ligação seja), isso é prejuízo para a população. Temos que ter uma discussão com maturidade política, dialogar e arbitrar os interesses para, ao fim, garantir a execução dos trabalhos. Vamos fazer isso de forma responsável e equilibrada, tendo como foco único tirar esse projeto do papel”, disse.

Paulo Alexandre se mostrou favorável à ideia da construção de uma ponte, que atualmente é o projeto defendido pelo governo estadual. No entanto, o prefeito de Santos acredita que a aceitação de uma proposta não anula a execução da outra.

“Esse é um tema bastante complexo, uma discussão que se arrasta há décadas, desde que Prestes Maia fez o plano de desenvolvimento regional de Santos nos anos 1930. Prestes Maia, que foi um grande urbanista e prefeito de São Paulo, falava que seriam necessárias três ligações secas entre as duas margens, em função do crescimento do Porto, olhando a perspectiva de futuro da região. De lá pra cá, se passaram quase 100 anos e tivemos várias propostas, vários projetos, mas todos eles têm uma única semelhança: todos ficaram no papel. Nenhum deles foi executado. Houve muita discussão e nenhuma ação. Cada proposta tem uma vocação. O túnel vai atender mais as pessoas que fazem o deslocamento entre as duas cidades, por motivos profissionais, pelo turismo. Vai atender mais o público que utiliza o serviço de balsas. Já a ponte vai atender mais ao setor portuário. Cada intervenção tem a sua vocação própria. Na minha opinião não são projetos excludentes. Não é um ou outro, pra mim é um e outro. Se há 100 anos falavam que seriam necessárias três e não foi feita nenhuma, agora estamos discutindo se é uma ou duas. Tem que ser as duas. Também acredito que o governo federal tem que entrar nessa discussão não só com discurso, não só com ideias, mas colocando a mão no bolso. Mas eu defendo que possamos viabilizar aquela ideia que for no momento a mais viável”, afirmou.

Segundo Paulo Alexandre, a região precisa urgentemente de uma obra que venha a ajudar na logística do Porto. “Hoje eu vejo o governo do Estado com vontade política de viabilizar essa ligação. O governador João Doria perguntou a minha opinião, falando da possibilidade de a Prefeitura participar, e eu disse que tendo a viabilidade nós vamos assinar embaixo. Tem sinal verde da Prefeitura. Nós não podemos mais perder tempo discutindo, falando que é esse ou aquele. Se o governo do Estado tem recurso e vontade política, vamos executar. Nós já recebemos o projeto na Prefeitura, estamos avaliando todo o processo de licenciamento no âmbito municipal, fazendo isso com prudência, celeridade. Mas não podemos trabalhar para inviabilizar uma obra que vai trazer progresso, desenvolvimento, além de gerar renda e empregos, que é o que nós precisamos. A Prefeitura de Santos será um facilitador, um parceiro do governo do Estado nesse projeto. Agora, se amanhã ou depois o governo federal ou a Codesp defenderem outra ligação, terão o nosso total e irrestrito apoio. Mas destaco que nesses anos todos de vida pública, eu aprendi que o feito é melhor do que o perfeito”, concluiu.

O Fórum 
O 1º Fórum de Debates Porto & Negócios - "O Porto e a Ligação Seca entre Santos e Guarujá" vai contar com a mediação de Maxwell Rodrigues, apresentador do programa Porto & Negócios, da Santa Cecília TV, e vai debater os projetos para a construção de uma ligação seca entre as cidades de Santos e Guarujá, uma das maiores reivindicações do setor portuário e da população da Baixada Santista.

A proposta de acesso entre as margens direita e esquerda do Porto de Santos por meio de uma ponte é considerada, atualmente, a principal alternativa para permitir a expansão do cais santista. Caso aprovada, ela será construída pela Ecovias, concessionária do Sistema Anchieta-Imigrantes, ao custo de R$ 2,9 bilhões, em troca de um maior prazo de concessão das estradas.

O estudo prevê 7,5 Km de extensão, ligando a Via Anchieta à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, para facilitar a integração entre Santos insular e continental, também favorecendo, Guarujá, e agilizar a movimentação logística do porto. Porém, há questionamentos sobre seu vão e altura, além de demandar processo de licenciamento ambiental.

Durante o fórum serão discutidas as vantagens e desvantagens logísticas, além do debate sobre qual é a melhor opção para uma ligação entre as cidades: a construção de uma ponte ou de um túnel.

A outra alternativa existente para a ligação seca entre as margens do Canal do Estuário, desta vez entre Santos e Guarujá, é a construção de um túnel, que já tem projeto executivo licenciado ambientalmente. A proposta de uma tecnologia inédita no país permitiria a ligação entre os municípios, inclusive com a remoção da barreira aérea representada pela linha de transmissão de energia da Usina de Itatinga com extensão do trajeto em 1,2 km, ainda contempla VLT, ciclovias e passagem para pedestres.

Além do mediador, representantes do governo federal, estadual, das prefeituras de Santos e Guarujá e do Porto vão participar do encontro. O debate também será aberto a perguntas do público presente ao fórum.

O Teatro Coliseu fica na Rua Amador Bueno, nº 237, no Centro de Santos.

noticia20198101215349.jpg