Dória anuncia que licença ambiental para ponte será liberada em oito meses


169 dias atrás
Por: #Santaportal - Em 25/06/2019 às 10:49
Dória anuncia que licença ambiental para ponte será liberada em oito meses Divulgação Ecovias

PORTO - O governador de São Paulo, João Dória, esteve em Santos nesta segunda-feira (24) e defendeu a construção da ponte ligando as margens esquerda e direita do Porto de Santos. Além disso, anunciou que o licenciamento ambiental para a obra, com investimento previsto de R$ 3 bilhões, será obtido em oito meses.

"O projeto está pronto e já temos um investidor, a própria concessionária da Rodovia dos Imigrantes (Ecovias), que já aceitou fazer esse investimento totalmente privado, permitindo que se faça uma obra de primeiro mundo, de maneira mais eficiente e rápida", afirmou.

No entanto, Casemiro Tércio, presidente da Codesp, em entrevista exclusiva ao Caderno Regional, da Santa Cecília TV, exibida em 30 de maio, criticou a falta de consulta á autoridade portuária sobre o tema, que não contempla pedestres, ciclistas e transporte, além de expressar que a ligação submersa seria a melhor solução.

"Nós estamos olhando uma ponte que tem que ter no mínimo 80 metros de altura. Já um túnel tem que ter de 20 a 30 metros de profundidade”, afirmou Tércio. "Do jeito que ele está posto vai na contramão do planejamento portuário. Hoje a gente pretende aumentar a capacidade de Santos. As pessoas dizem que o gargalo de Santos está no canal, na largura do canal. Hoje para você aumentar a capacidade do canal, você precisa permitir o cruzamento de navios, e esse é um gargalo. E quando você coloca uma ponte ele diminui a capacidade de cruzamento de navios. A frota que vai frequentar Santos daqui a 20 ou 30 anos será de navios maiores", emenda.

Por sua vez, João Dória não é contrário à construção do túnel, mas desde que seja feito posteriormente. "A ponte não inviabiliza o túnel. Prestes Maia, há 90 anos, previa três ligações. É perfeitamente possível que, havendo a ponte, na sequência, seja viabilizado o túnel. O que não se pode mais é retardar a construção da ponte, ainda mais com essa obra ainda cristalizada”, ressaltou.

O governador de São Paulo ainda lembrou que uma mudança de traçado causaria um retardo no planejamento de, no mínimo, 12 meses. "É mais fácil ter, a partir de um bom entendimento com o Porto de Santos, uma outra área para que possa ser feita a estocagem de contêineres do que mudar o projeto estrutural de uma ponte. Não seria agora, com tudo pronto, que a mudança de traçado deveria ser colocada à frente do interesse da população, tanto de Santos quanto de Guarujá, além dos turistas".