Pixabay Pixabay

Labirintite: será mesmo?

Você sabia que apenas 5% das pessoas que relatam sentir tonturas, zumbido nos ouvidos, vômitos, sudorese excessiva, de fato tem labirintite? Isto mesmo, apenas 5%.

Este termo vem sendo utilizado de maneira indevida e, por consequência, o diagnóstico precipitado também, fazendo com que pessoas estejam sendo medicadas inadequadamente, e pior, farão isto para o resto de suas vidas porque estão atuando na consequência e não na razão.

Labirintite é uma doença extremamente rara, grave e se caracteriza pela inflamação do labirinto, uma estrutura do ouvido interno responsável pelo equilíbrio do corpo.

O que a maioria das pessoas chamam de labirintite, na verdade, pode ser um sintoma de pelo menos 300 doenças que acometem o pequeno órgão do ouvido interno (de distúrbios vasculares a erros de alimentação e tumores).

"O termo está sendo mal-usado. O correto é chamar os distúrbios do labirinto de labirintopatias”. O diagnóstico é fundamental para se chegar à cura e também para evitar complicações futuras. "O distúrbio do labirinto em crianças pode, mais tarde, ser a causa da enxaqueca", explica Mário Sérgio Lei Munhoz, chefe da disciplina de otoneurologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Porém, o que menos importa é o nome dado, e sim, diagnosticar corretamente o que está causando os sintomas. Em alguns casos, o problema está na coluna cervical. Isto já diz muita coisa, não é?

Com o aumento da população com problemas na coluna, em função, principalmente da má postura, sedentarismo, bem como aumento de peso, problemas na coluna tornaram-se o segundo maior problema de afastamento das pessoas de seus trabalhos, e nesta analogia, quantas pessoas ao seu redor relatam ter labirintite? Não pode existir uma correlação entre elas, já que é uma das “doenças” do século?

Por que o problema pode estar na coluna cervical? Ao lado de nossa coluna vertebral passam artérias que levam sangue até o labirinto. Qualquer compressão óssea nesta região que altere o fluxo do sangue faz diminuir a irrigação do labirinto e com isto ele passa a não funcionar corretamente causando os sintomas de tontura, vômito e sudorese, principalmente.

Percebem que tomar o remédio para labirintite será ineficiente? Neste caso, a pessoa precisa fazer um tratamento específico para a coluna, como fisioterapia e atividades físicas que fortaleçam e devolvam a movimentação da coluna cervical, como p.ex. pilates.

Este é um tema altamente preocupante, porque há algum tempo muitos diagnósticos de labirintite vêm sendo dado sem a devida investigação. Para o caso da coluna cervical, basta um raixo X ou ressonância magnética para saber se a causa pode ser esta.

Outra responsável pelo que se chama "labirintite", na faixa dos 20 aos 45, é a doença de Ménière. Por causa de infecções virais, alergias, distúrbios do metabolismo entre outros fatores, há uma concentração de líquido dentro do labirinto. A pressão faz o paciente sentir que o ouvido está sempre tapado além de provocar tonturas, náuseas e suor frio.

Agora que você já sabe que podem ser outras as razões destes sintomas, procure investigar melhor para ter o diagnóstico correto e realizar o melhor tratamento.

Um grande abraço a todos e ótima semana e final de semana! Aproveitem para caminhar por parques e praias, como frutas, legumes e beba muita água. Sua alma, mente e corpo irão te agradecer para sempre.


blog20197111812720.JPG

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Elisabeth Victorazzi
  • Postado em: quinta-feira, 11 jul 2019 09:15Atualizado em: segunda-feira, 15 jul 2019 09:03
  • Labirintite   doença   dúvida   
     
Sobre
Muito mais importante do que remediar é prevenir. Em saúde, este assunto é ainda mais importante. Aqui neste espaço você vai encontrar textos de gente que entende do assunto e promoção de uma vida saudável, no corpo e na mente.