Alimentos Termogênicos

Para serem digeridos todos os alimentos gastam energia, ou seja, eles aumentam a temperatura corporal e a queima de gordura (a chamada termogênese induzida pela dieta). Porém, existem alguns que se destacam por induzirem o metabolismo a trabalhar em um ritmo ainda mais acelerado, gastando então mais calorias, classificados como alimentos termogênicos.

Para que se perceba os benefícios aceleradores destes alimentos, eles devem ser consumidos com regularidade. Contudo, para que haja este efeito positivo no processo de emagrecimento, a alimentação saudável e a prática de exercícios físicos são fundamentais.
Conheça os alimentos termogênicos: água gelada, gengibre, canela, cafeína, chá verde, pimenta vermelha, abacaxi, soja e o ômega 3.

 

Água gelada

 Ao consumir água gelada (temperatura inferior a 16ºC), o organismo necessita de mais energia para elevar a temperatura para 37ºC, e com isso “gasta” mais calorias.

 

Gengibre

Acelera o metabolismo em até 20%. Eficaz contra câncer de cólon e ovário, ajuda no tratamento de distúrbios respiratórios e enjôo. O gengibre pode ser consumido cru, no tempero de aves e peixes, em forma de chá ou batido no liquidificador com frutas.

Canela

A canela é altamente efetiva em gripes e em doenças da pele (como a acne). Ela também estimula a digestão e elimina flatulências. Diminui o colesterol e acelera o metabolismo. Pode ser consumida em pó, com frutas ou como tempero para carnes, ou em pau em chás.

Cafeína

A cafeína é capaz de aumentar o seu desempenho em tarefas manuais. É um importante estimulante do sistema nervoso, provocando um efeito estimulador.

Chá verde

Reduz a absorção do açúcar no sangue. Favorece também o trânsito intestinal e acelera o funcionamento do metabolismo.

Pimenta Vermelha

A pimenta acelera o metabolismo em até 20% e evidencia sua propriedade de retirar gordura das artérias. A pimenta vermelha é rica em vitamina C, B1, B2 e E. Tem propriedades analgésicas e energéticas, reduz a formação de coágulos no sangue e estimula a digestão.

Abacaxi

Rico em fibras, ajuda a acelerar o metabolismo. Contém vitaminas C, B1, B6, além de ferro e magnésio. Contém celulose, uma substância indispensável para o bom funcionamento intestinal — além de bromelina, substância que facilita a digestão das carnes.

Soja

O grão contém lisina e arginina, substâncias que estimulam a produção de um hormônio chamado glucagon, que tem ação térmica.

 

Alimentos com Ômega 3

  O omêga 3 é encontrado em peixes - como salmão e atum – oleaginosas, linhaça, azeite e alga. Ele aumenta o metabolismo basal, melhora a retenção de líquidos e facilita a comunicação entre as células do organismo.

 

 

Receitas Termogênicas:

 

Suco 1:

1 maçã fugi

1 fatia de abacaxi

2 folhas de couve manteiga crua

hortelã a gosto

gengibre cru a gosto

Acrescente 1 litro de água e bata no liquidificador.

Suco 2:

4 folhas de couve manteiga

1 maracujá

gengibre cru a gosto

Acrescente 1 litro de água e bata no liquidificador.

 

Chá de gengibre:

1,5 L de água

2 colheres de sopa de gengibre

1 rodela de limão sem casca

cravo e canela

 

Chá verde (Camellia sinensis):

Modo de preparo: Para cada litro de água, acrescente 4 colheres de sopa de erva fresca ou 2 colheres de erva seca. Esquentar a água até pouco antes da ebulição e despejá-la nas folhas de chá bem devagar e do alto, o que ajuda na redução do processo oxidativo. A infusão deverá ficar abafada (tampada) por cerca de 3 minutos. Após esse tempo, coar o chá.

 

 

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

 A quantidade a ser consumida varia de pessoa para pessoa, e deve ser identificada preferencialmente após uma avaliação nutricional, já que o exagero na sua ingestão pode levar ao aparecimento de sintomas como dor de cabeça, tontura, insônia e problemas gastrointestinais.

Hipertensos, indivíduos com problemas cardíacos ou tireoideanos, além de gestantes e mulheres que estão amamentando devem tomar cuidado, pois esses alimentos aceleram o coração. Vale ressaltar que o consumo desses alimentos deve ser evitado à noite, pois tendem a prejudicar o sono.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Dra. Ingrid Seiler Prior
  • Postado em: segunda-feira, 22 jan 2018 11:24Atualizado em: segunda-feira, 22 jan 2018 11:27
  • alimentos   termogênicos   energia   

Tecido Adiposo Branco e Marrom

O tecido adiposo, apesar de temido por muitos, possui importantes funções no organismo como reserva energética, isolante térmico, proteção contra choques mecânicos, secreção de hormônios, etc. O problema encontra-se somente no excesso.

Existem dois tipos de tecido adiposo: o branco e o marrom. O tecido adiposo branco armazena energia e produz citocinas pró-inflamatórias, que interferem no sistema imunológico. Já o tecido adiposo marrom possui como principal função a produção de calor, ou seja, é um tecido metabolicamente ativo, que basicamente “derrete gordura”.

O tecido adiposo é composto por adipócitos (células de gordura), que são produzidos a partir da primeira infância, dos 0 aos 2 anos. Os processos que compõem o aumento de células de gordura se diferenciam em hipertrofia e hiperplasia, aumento do tamanho das células e aumento do número de células, respectivamente.

Na fase adulta o processo predominante é a hipertrofia celular. O cuidado maior deve ser tomado na infância e na puberdade, que por serem fases de crescimento, se o indivíduo já estiver acima do peso, o processo de hiperplasia será ainda maior do que ocorreria normalmente, sendo mais difícil então perder peso na idade adulta, já que ele possui um número maior de células para “murchar”. Oitenta por cento dos adolescentes obesos permanecem com excesso de peso na vida adulta.

O tecido adiposo marrom é encontrado em recém-nascidos e animais que hibernam. Ele está presente em maior quantidade para a manutenção da temperatura corporal, devido ao frio intenso.

Já foram realizadas pesquisas in vitro onde conseguiu-se transformar o tecido adiposo branco em marrom, mas em humanos ainda não foi realizado nenhum estudo desse tipo. Em humanos esse tipo de estudo nunca foi realizado, mas seria essa a cura da obesidade¿ Isso quem dirá é o futuro e a ciência, mas uma coisa é certa, as pessoas que se submetessem a esse tipo de intervenção produziriam uma quantidade excessiva de calor, e por conseqüência, suariam demasiadamente.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Dra. Ingrid Seiler Prior
  • Postado em: sexta-feira, 05 out 2018 15:38Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00

Nutrição Esportiva

A qualidade de vida é uma preocupação mundial, e uma alimentação saudável juntamente com a prática regular de atividade física são essenciais para alcançá-la. A prática regular de exercícios traz inúmeros benefícios à saúde: melhora a capacidade cardiorrespiratória, diminui o estresse e o risco de doenças como diabetes e hipertensão, além de aumentar o gasto energético e melhorar o humor e a coordenação motora.

Contudo é preciso aliar à atividade física uma dieta balanceada, para preparar o organismo para o esforço, proporcionando os nutrientes necessários que variam com o tipo de exercício realizado e o objetivo que se pretende alcançar, como a perda de peso ou o ganho de massa muscular.

As necessidades energéticas mudam com a prática de exercícios, pois eles levam a adaptações fisiológicas e bioquímicas que determinam maiores necessidades nutricionais. A prescrição dietética deve ser baseada no cálculo do metabolismo, oferecendo assim não somente a quantidade calórica ideal, mas ainda carboidratos e proteínas de forma a garantir a produção de energia e recuperação muscular.

 Desta forma, os principais objetivos da nutrição esportiva são:

  • Promover a saúde;
  • Equilibrar as necessidades energéticas;
  • Oferecer os nutrientes básicos;
  • Permitir uma recuperação adequada e rápida;
  • Atuar como recurso ergogênico;
  • Diminuir a velocidade de perda de rendimento.

Listo a seguir algumas dicas básicas de nutrição para praticantes de atividade física:

* As fontes de CARBOIDRATOS (arroz, batata, macarrão, pão, etc.) são os alimentos que devem estar em maior quantidade no seu cardápio, afinal, são eles que fornecem energia, disposição, dão volume aos músculos e participam ativamente na recuperação do corpo após os exercícios. Além isso, os carboidratos servem de matéria-prima para a produção de glicogênio muscular, que é a principal fonte de energia utilizada durante o exercício;

* As fontes de PROTEÍNAS (carnes, ovo, leite, iogurtes, queijos, etc.) são muito importantes na construção e reparação dos músculos, entretanto, a necessidade desse nutriente é facilmente alcançada, então, não há necessidade do exagero no consumo desse grupo de alimentos;

* As fontes de LIPÍDIOS (azeite, oleaginosas, abacate, sementes, etc.), devem estar em menor quantidade em seu cardápio, mas nunca se deve excluí-los totalmente, afinal, as gorduras têm muitas funções essenciais no organismo e metabolismo, além de colaborar com o fornecimento de energia para o exercício e recuperação. Prefira sempre as fontes de gordura vegetal e peixes – gorduras boas;

* A hidratação é fundamental para o bom desempenho físico. A água auxilia no transporte dos nutrientes pelo sangue, participa das reações químicas e do controle da temperatura do organismo. Urina clara é sinal de boa hidratação;

*As pessoas que praticam atividade física ficam tão preocupadas com a ingestão de proteínas e carboidratos que se esquecem das VITAMINAS E MINERAIS. Eles são importantíssimos, afinal, organizam todo o metabolismo, ajudam na queima de gordura, aumento de síntese de proteínas, formação de energia, qualidade dos órgãos e ossos, além de serem antioxidantes. Aumente seu consumo diário de verduras, legumes, frutas, cereais, oleaginosas, ovos, leite e derivados;

* Alimente-se de 3 em 3 horas, pois esta prática preserva os estoques de glicogênio e evita a quebra de músculos para suprir esta energia. Pular as refeições resulta em redução da massa magra (músculos), fadiga durante os exercícios e acúmulo de gordura abdominal;

* As bebidas alcoólicas causam desidratação porque aumentam a diurese, inibem as vitaminas, podendo levar à deficiência destes nutrientes, intoxicam o fígado e o sistema nervoso central causando prejuízos ao funcionamento do corpo, além de possuírem calorias vazias, que em excesso, viram gordura corporal. Evite ingeri-las.

* Nunca acorde e permaneça em jejum por muito tempo, muito menos vá se exercitar em jejum!

Bons treinos!

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Dra. Ingrid Seiler Prior
  • Postado em: sexta-feira, 19 out 2018 10:35Atualizado em: sexta-feira, 19 out 2018 10:38
  • saúde   esporte   energia   
     
Sobre
Nutricionista formada em 2009 pela Universidade Católica de Santos, especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho e em Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Federal de São Paulo. Conheça melhor o meu trabalho em www.nutrimind.net.br