Divulgação Divulgação

'Yesterday' é diversão descompromissada embalada pelos clássicos dos Beatles

Gostei de 'Yesterday', comédia romântica com toques de fantasia, embora reconheça que a ideia seja melhor do que sua realização. O ponto de partida é bem criativo: um músico inglês de origem indiana, fracassado mas boa gente, é atropelado durante um apagão de proporções mundiais e, quando acorda, algumas coisas mudaram no mundo. A que importa: os Beatles nunca existiram e ele parece ser a única pessoa que se lembra de suas músicas. Ele, então, começa a cantar todas as músicas como se fossem composições dele. E se torna um ídolo pop. Apesar de ter gostado, há algumas considerações a fazer. Algumas delas, sem contar nada de muito importante:

? Não explicar o sumiço dos Beatles - nem da Coca-Cola nem do Harry Potter - foi uma boa ideia. Não precisa, né? Nunca existiram e pronto;

? A solução não me convenceu. Ok, é fantasia, mas a atitude dele teria uma série de consequências, financeiras, inclusive, das quais ele não conseguiria se livrar tão fácil; Aliás, um outro encontro que acontece no filme (você vai saber qual é quando ele acontecer) também não leva a lugar algum;

? Tirando o final, a historinha é divertida e prende o interesse, até porque é toda pontuada pelas canções e por referências dos Beatles e de suas canções; mas não fique querendo buscar muita lógica no desenrolar da coisa, não é esse o objetivo nem de quem fez nem de quem vai assistir;

? Ed Sheeran é uma presença divertida no filme. Que, aliás, tem um elenco todo muito simpático;

? O filme podia explorar mais a questão teórica de como a música pop caminhou sem os Beatles e sua influência, mas o filme nem toca nisso, quase sugerindo que sua ausência não fez diferença alguma, já que a música atual, no filme, é de fato a música contemporânea;

? A história de amor que conduz o filme é típica do roteirista Richard Curtis, conhecido por filmes como 'Quatro Casamentos e um Funeral', 'Um Lugar Chamado Notting Hill' e 'Simplesmente Amor'. E o humor é aquele clássico auto-depreciativo humor britânico.

? Não é filme para entrar para a história, certamente, é superficial como quase toda comédia romântica, mas é suficiente para divertir sem compromisso.

E agora, comentários com spoilers. Se você não assistiu ao filme e se importa em saber detalhes, pare de ler aqui...

...



...



...



...



...



? Que baita ator parecido com o John Lennon que arrumaram, não? Se você não reconheceu, é Robert Carlyle, conhecido de longa data do diretor Danny Boyle por ter atuado nos dois Trainspotting e também estrela da comédia indicada ao Oscar 'Ou Tudo ou Nada' (aquele dos ingleses que montam um show de strip-tease);

? Sobre a solução do caso: abrir mão dos direitos autorais e dizer que as músicas foram compostas pelos Beatles, que nunca existiram, e por John, George, Paul e Ringo? Mas nesse universo eles nunca compuseram as músicas! Outra: isso traria problemas sérios ao Jack, já que a gravadora investiu milhões nele, com contrato assinado. Ele não sairia livre disso. Aquele happy ending, portanto, é bem improvável, mesmo num filme de fantasia; Melhor seria, de repente, ceder os direitos ao Ed Sheeran. Sei lá;

? Que namorado bonzinho o da Ellie, não? Acontece o que acontece em frente a milhões de pessoas e tudo bem, ele vai lá e abraça o Jack?

 

 

  • Publicado por: Gustavo Klein
  • Postado em: segunda-feira, 02 set 2019 19:01

Comentários (0)

Enviar Comentário
     
Sobre
Cinema, música, literatura, séries de tevê e muito mais. As últimas notícias. Entrevistas com quem faz cultura. As resenhas dos filmes em cartaz e das séries do momento. Os livros mais legais. Tudo isso e muito mais você encontra aqui, no Santa Cultura!