O Beijo

Freud já disse na sua teoria do desenvolvimento sexual que a sucção é a primeira manifestação sexual da nossa vida, anterior ao conhecimento do objeto sexual, e o beijo será a repercussão dessas sensações na vida adulta e erotizada.
Nessa linha de raciocínio os beijos evocam, no plano inconsciente, o conforto e a satisfação que a pessoa experimentava quando em sua vida de bebe, a presença do seio materno representava o alivio da fome e o aconchego amoroso.
Essa caricia com a boca, pode ter sido exclusivamente erótica na origem, mas na vida social ela acabou por assumir variadas significações, muita dela sequer relacionadas à afeição.
O beijo desperta não só uma enorme quantidade de produção de endorfinas, mas ele também é um excelente elemento para fisioterapia das lesões da face. Durante um beijo são mobilizados 29 músculos, sendo 7 linguais.
Os batimentos cardíacos aumentam de 70 para 150, melhorando a oxigenação do sangue, o que mostra que o beijo tem também indicação cardiológica. Mas ele também tem alguns pequenos inconvenientes.
No beijo há uma considerável troca de substâncias, 9 miligramas de água, 0,7 decigramas de albumina, 0,8 miligramas de matérias gordurosas, 0,5 miligramas de sais minerais, sem falar em outras 18 substâncias orgânicas, cerca de 250 bactérias, e uma grande quantidade de vírus.
Não se assustem com esses números, o beijo é ótimo. Além disso, o beijo é calórico.
Acredita-se que um beijo caprichado consuma cerca de 10 calorias, de modo que as gordinhas fiquem felizes por que talvez o beijo seja uma boa maneira de emagrecê-las.
Mas tirando todo esse discurso teórico o bom do beijo é que ele deve ter sentido, beijar por beijar é desperdício, mas beijar com um elo entre o corpo e a alma é tudo de bom.


Serviço:30 beijos do Kama Sutra, conhecer e experimentar #fica a dica

 

 

  • Publicado por: marcia atik
  • Postado em: terça-feira, 20 ago 2019 09:05
  • beijo   

Comentários (0)

Enviar Comentário