Divulgação Divulgação

Pré-estreia de Star Wars - Os Últimos Jedi

“Star Wars: Os Últimos Jedi” é provavelmente o filme mais aguardado do ano. Marca o retorno de Mark Hamill como protagonista, vivendo o lendário Luke Skywalker, e traz Carrie Fisher como a General Leia Organa – a atriz faleceu em dezembro de 2016.

Para promover o lançamento, o Cine Roxy 5 repete o sucesso do ano passado e fará um evento especial para alegria dos fãs no dia 13 de dezembro, quarta-feira, antes da pré-estreia do filme de 0h01 (de quarta para quinta).

Às 19h30, a Banda Marcial de Cubatão se apresentará ao lado do Cine Café. Regidos pelo maestro Alexandre Felipe Gomes, cerca de 40 músicos executarão um set list permeado pela trilha clássica da saga, além de outros clássicos do cinema. O grupo tem se apresentado, com sucesso, em eventos como JediCon, Santos Film Fest, Anime Friends, levando ao público grandes sucessos de filmes, séries e animes.

Além da parte musical, o Roxy repetirá a parceria dos dois últimos anos – nas pré-estreias de “O Despertar da Força” e “Rogue One – Uma História Star Wars” - com o Fã Clube Star Wars da Baixada Santista. Assim, vários cosplayers vestidos com trajes da série receberão o público para fotos e selfies.

A apresentação da Banda e a participação dos cosplayers ocorre na parte externa do cinema, é gratuita e aberta ao público. Já quem quiser ver o filme, na pré-estreia da 0h01 ou nos dias seguintes, pode comprar o ingresso online de forma antecipada neste link ou na bilheteria do Roxy 5.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: segunda-feira, 11 dez 2017 22:32Atualizado em: terça-feira, 12 dez 2017 15:29
  • Cinema   Roxy   Star Wars   
Divulgação Divulgação

3º Santos Film Fest ocorrerá de 27 de agosto a 3 de setembro

O 3º Santos Film Fest – Festival de Filmes de Santos acontecerá de 27 de agosto a 3 de setembro. Algumas novidades já foram confirmadas. Um dos homenageados será o crítico santistaRubens Ewald Filho, que receberá o troféu Luciano Quirino, cujo nome reverencia o ator santista que hoje trilha carreira nacional em cinema, TV e teatro e foi o patrono da segunda edição. 

Rubens participou do festival em 2017, quando apresentou o longa-metragem “Somos Todos Estrangeiros”, do qual é produtor. Foi a primeira sessão do filme na Baixada Santista. Em 2018 ele retornará para receber a homenagem como importante figura na difusão do cinema nacional e por sempre levar o nome de Santos aonde vai.

Será realizada uma exposição com seu acervo pessoal, inclusive os primeiros cadernos nos quais costumava anotar suas impressões sobre os filmes. Também serão exibidos alguns de seus longas preferidos. “Rubens é um embaixador do cinema. Curador do principal festival de cinema do país, sempre fala de Santos e tem orgulho de ter saído daqui. É com prazer que prestaremos uma justa homenagem ao ‘homem do Oscar’”, explica André Azenha, organizador do projeto.

Agenda 2030 da ONU

Neste ano o festival repetirá a mostra de longas-metragens, nacionais e estrangeiros, que tem se destacado internacionalmente, em parceria com importantes distribuidoras de filmes do país. 

O tema geral será a Agenda “2030 da ONU e seus 17 objetivos”. 

Uma novidade será também a abertura de inscrições para os curtas, médias e longas que tenham a ver com o tema. 

Uma das mostras será focada em filmes que retratam a imprensa, batizada “Democracia, só com imprensa livre”. Principalmente neste momento em que políticos de diferentes vertentes, tentam limitar a atuação do jornalismo pelo mundo.

O festival se destacou pela qualidade da curadoria apresentada na edição passada. Muitos dos filmes exibidos foram premiados internacionalmente e foram listados entre os melhores do ano por diversos veículos de credibilidade do mundo inteiro, como ‘O Cidadão Ilustre’, ‘Além das Palavras’, ‘O Filme da Minha Vida’, entre outros.

Em 2016, o festival levou ao público 17 filmes. No ano seguinte, 34. Em 2018 o objetivo é melhorar ainda mais a programação em qualidade e quantidade. Para este ano, o evento também investirá nas exibições de filmes de baixo ou zero orçamento, visando promover a produção verdadeiramente independente nacional. Em breve será anunciado o período de inscrições. “Desde o princípio nossa vontade tem sido expandir o cinema. Não apenas para quem estuda, quem produz, um público importantíssimo, e por isso sempre reservamos parte das salas para alunos de cinema, mas à população em geral. Faremos, novamente, sessões infantis para alunos da rede pública, e pretendemos realizar exibições para pessoas portadoras de deficiência física, buscando sempre a inclusão, a formação de público, a democratização de acesso à cultura”.

Além disso, em parceria com o Escritório de Inovação Econômica da Prefeitura de Santos, o festival realizará um intercâmbio com uma Cidade Criativa em Cinema pela Unesco, que será definida em breve. O objetivo é exibir filmes dessa cidade, enviar filmes do festival para quem sejam exibidos lá e, quem sabe, reunir alunos de cinema de ambos os municípios para a produção de um videoclipe em conjunto. Também ocorrerá um bate-papo ao vivo via Skype, pela tela de cinema, com um profissional de audiovisual estrangeiro.

80 anos de Superman e 40 anos de Superman, o Filme

Na temporada que Superman completa 80 anos de sua primeira aparição nos quadrinhos, em “Action Comics 1”, o festival celebrará o aniversário e também os 40 anos do lançamento de “Superman, o Filme” com mostra especial de filmes e animações do personagem, oficina de desenho e duas exposições: uma de itens ligados às versões do herói nas telonas, e outra de desenhos produzidos por artistas da região. Além de debates sobre sua relevância para a cultura pop e a sétima arte. “Superman acompanhou grande parte da história do cinema, desde suas primeiras aparições nas matinês cinematográficas dos anos 40, numa série de curtas animados muito à frente de sua época, feitos pelos irmãos Fleischer. É um símbolo da justiça, a busca por igualdade, representa um ser deslocado na humanidade, tentando se encontrar. São várias leituras e interpretações que têm tudo a ver com o mundo atual, calcado num pessimismo gerado pela violência, a corrupção. É um personagem necessário, que leva luz às pessoas de todas as idades. Além disso, ‘Superman, o Filme’ trouxe inovações técnicas para a indústria”, diz Azenha.

Mais atividades

Em time que está ganhando não se mexe. E o Santos Film Fest manterá as oficinas formativas, a Virada Cinematográfica com café da manhã, sucesso de público nas duas edições do festival, e os bate-papos e palestras com profissionais experientes da área e as exibições de filmes clássicos e cults, visando valorizar a história do cinema. Nesta terceira edição também serão debatidos a representatividade das mulheres no audiovisual, o processo de distribuição de filmes no mercado, e as transformações do segmento, com as recentes plataformas de exibição como o vídeo sob demanda e o streaming.

Toda a programação é gratuita e acontecerá em diversos espaços, como Cine Roxy 5, Cine Roxy 4, Cinemateca de Santos, etc.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: quarta-feira, 28 fev 2018 02:05Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cinema   Evento   Cultura   
Divulgação Divulgação

Olhando Para as Estrelas

“Olhando Para as Estrelas” é um documentário emocionante que ao longo de três anos acompanhou duas dançarinas da primeira e única escola de balé para pessoas com deficiência visual do mundo, a Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini, localizada na cidade de São Paulo. Geyza, além de ser a primeira bailarina da companhia é também professora na escola e Thalia, uma adolescente que apesar de todas as suas dificuldades, tem como objetivo e sonho, conquistar sua independência e autonomia.

O filme será exibido no Roxy 4 na terça-feira, 19 de dezembro, 20h, com entrada gratuita. A exibição terá presença do diretor Alexandre Peralta, nascido em Santos.

A Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini é a primeira escola de ballet para cegos do mundo. A escola, que apoia em sua maioria mulheres jovens de famílias de baixa renda e comunidades dentro e ao redor de São Paulo, foi fundada há vinte anos e, desde então, já ´apareceu na mídia no mundo todo. Nesse tempo, participaram de muitas apresentações importantes, entre elas, a cerimônia de encerramento das Paralimpíadas de Londres em 2012, fizeram uma performance de abertura para o Ballet Real da Dinamarca, e tiveram a oportunidade de dançar para a companhia Parsons de Dança, além de conquistar a admiração de ninguém menos que Mikhail Baryshnikov.

Dirigido por Alexandre Peralta, o longa é produzido por Alejandro Ernesto Martinez, Thais Peralta, Melissa Rebelo Kerezsi, Corina Maritescu, Mayra Ometto e Chao Thao, tem produção executiva da atriz Camilla Belle, Sabrina Chammas, Leandro Peralta, Andre Peralta, Adriana Rodrigues, Ariadne Mazzetti e Jean Paulo Lasmar, consultoria do documentarista ganhador de dois prêmios Oscar Mark Jonathan Harris, e música original de Alexis Marsh e Sam Jones da banda americana DYAN.

"Começamos este projeto como um retrato do trabalho da escola. Mas ao longo do caminho, as histórias nos levaram a lugares que não esperávamos e acabamos retratando a complexidade da vida daquelas pessoas, mais especificamente da Geyza e da Thalia, que passavam por mudanças importantes em suas vidas. Através dessas histórias, a equipe pôde ver como a paixão por aquilo que se vive e faz é capaz de preencher e trazer felicidade pro dia- a-dia. E também aprendemos que os maiores desafios que enfrentam vão muito além daquele que estava na superfície, que no caso delas é a cegueira", disse o diretor Alexandre Peralta.

O filme recebeu alguns prêmios, incluindo prêmio de melhor documentário da HBO/NALIP (Associação de Produtores Latinos), prêmio da diversidade no Bentonville Film Festival e participou de vários festivais internacionais, como o Dance on Camera, prestigiado festival de filmes de dança, organizado pelo Film Society of Lincoln Center. O longa foi exibido no Los Angeles Film Festival e na 40a Mostra de Cinema de São Paulo.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: segunda-feira, 18 dez 2017 15:24Atualizado em: segunda-feira, 18 dez 2017 16:53
  • Cinema   Roxy   Balé   
Divulgação Divulgação

Palestra do Oscar e Oscar 2020 ao vivo no Cine Roxy

Controverso, polêmico, divertido. O Oscar pode não ser a premiação mais justa do cinema. Mas com certeza é a principal. Aquela em que os holofotes do mundo se voltam para curtir desde as celebridades no tapete vermelho, até as homenagens e entregas da famosa estatueta.



E o Cine Roxy repete a iniciativa dos oito anos anteriores.



Na terça-feira, 4 de fevereiro, a partir das 20h30, no Cine Roxy 4 Pátio Iporanga, ocorre a 26ª edição da tradicional Palestra do Oscar com Waldemar Lopes. O evento é promovido pela Open House Idiomas, em parceria com o Cine Roxy, CineZen Cultural e diversos apoiadores. A entrada é franca, mas pede-se a gentileza de um quilo de alimento não perecível em prol da ACAUSA e da Igreja Senhor dos Passos.



Durante o evento, Waldemar comenta os principais indicados, traz curiosidades da premiação, da história do Oscar, apresenta os títulos em Portugal para os filmes vencedores do Oscar, entre outros assuntos ligados à premiação.



Como é costume, serão sorteados vários brindes, como ingressos do Roxy, vales para restaurantes, cafeterias, chocolates, livros e DVDs, brindes geeks, etc.



Já no domingo, 9 de fevereiro, a partir das 21h45, aí no Cine Roxy 5, será a vez da exibição ao vivo do prêmio, com direito a mestres de cerimônia caracterizados, e sorteios de brindes. Serão os mestres de cerimônia André Azenha, Marcelo Reis, Waldemar Lopes e Gustavo Klein.



A entrada segue o mesmo sistema da palestra: gratuita, mas pede-se para quem puder, um quilo de alimento não perecível em prol das mesmas instituições: ACAUSA e da Igreja Senhor dos Passos.



Histórico da Palestra



“A história da origem da palestra é bem interessante”, afirma Waldemar. “Em um dos cursos de inglês que ministro na Open House Idiomas, chamado ‘Brush up’, que criei para pessoas que quisessem aperfeiçoar o idioma e conhecer mais a cultura americana, eu falava sobre o cinema em Hollywood e filmes independentes”, explica. “Nessas aulas, o Oscar começou a se tornar um tema recorrente, por ser talvez o primeiro prêmio criado para destacar os melhores de um setor e se tornar um modelo e inspiração para demais premiações. Quando se fala de qualquer outro prêmio, como o Tony, por exemplo, é comum se referirem a ele como ‘o Oscar do teatro’”, detalha o artista plástico. “A ideia de fazer a palestra surgiu na sala de aula. Decidi fazer o evento na própria sala de aula da Open House, em inglês, aberta também ao público interessado. Foi um sucesso! O vencedor daquele ano foi ‘Forrest Gump’, e Tom Hanks se tornou uma espécie de amuleto de sorte para mim”, ressalta.



Até 1997 a palestra foi realizada na Open House Idiomas. No entanto, o evento ia crescendo e o problema de espaço se tornou o primeiro obstáculo. A parceria com a Livraria Martins Fontes foi providencial. “Recebi muito apoio da Solange e Aírton, entre 1999 e 2006, onde pude realizar a palestra na sede da Praça Independência”, lembra Waldemar.



Com o fechamento daquela unidade, Waldemar recebeu um grande apoio da Associação dos Médicos de Santos (atual unidade da Associação Paulista de Medicina na cidade), onde o evento ocorreu três anos.“Um maior trabalho começou quando, atendendo a muitos pedidos, comecei a fazer uma sessão extra em português”, destaca. “Infelizmente, problemas de horário e gastos me obrigaram a fazer uma escolha, e a palestra em português prevaleceu”.



Há oito anos, o Cine Roxy criou uma programação especial de Oscar, com pré-estreias de filmes indicados e a exibição ao vivo da premiação, e convidou Waldemar para realizar a palestra no cinema. Ele aceitou prontamente. “Nada melhor que uma Palestra do Oscar acontecer numa sala de cinema, especialmente no Cine Roxy, que tem tanta tradição”, afirma.





Serviço:
26ª Palestra do Oscar, por Waldemar Lopes
Onde: Roxy 4 do Pátio Iporanga, Av. Ana Costa, 465, Gonzaga.
Quando: Terça-feira, 4 de fevereiro, 20h30
Entrada: Um quilo de alimento não perecível, em prol da ACAUSA e da Igreja Senhor dos Passos.



Exibição ao vivo do Oscar 2020
Onde: Roxy 5 – Av. Ana Costa, 443, Gonzaga
Quando: Domingo, 9 de fevereiro, 21h45
Entrada: Um quilo de alimento não perecível, em prol da ACAUSA e da Igreja Senhor dos Passos.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: quarta-feira, 22 jan 2020 00:47Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Evento   Cine Roxy   cinema   
Nice Gonçalvez Nice Gonçalvez

Arte no Dique lança filme sobre intercâmbio cultural com sessão gratuita no Cine Roxy 4

Enquanto se prepara para o Intercâmbio Cultural Brasil-Itália 2019, de 5 a 30 de dezembro, que inclusive terá um encontro com o Papa Bento XI, o Instituto Arte no Dique lançará o documentário “Dique, Cidade Aberta”, que traz o registro da primeira viagem internacional ao sul da Itália, em 2018, de nove crianças que fazem parte da oficina de percussão da instituição.

A sessão gratuita ocorrerá em 26 de novembro, uma terça-feira, 21h, no Cine Roxy 4 do Shopping Pátio Iporanga (Av. Ana Costa, 465, Gonzaga). A retirada prévia de ingressos pode ser feita no instituto e, no dia do evento, na bilheteria do cinema. A exibição conta com apoio do Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos.

Com uma hora e dez minutos de duração e dirigido por Marcos Vinicius e Felipe Seguro, o filme tem título que faz alusão ao clássico neorrealista do diretor italiano Roberto Rossellini, “Roma, Cidade Aberta” (1945). Mas ao contrário do longa original que retrata a segunda guerra mundial, as crianças do Coletivo Querô ocuparam a região sul italiana com muito amor, carinho e talento.

Ao longo de 15 dias, os jovens percussionistas ficaram hospedados em casas de famílias locais e tiveram a oportunidade de se apresentarem em escolas, teatros e conservatórios de música, além de acompanharem aulas de inglês, italiano e francês.

Ficha técnica do filme:

Coordenação geral: José Virgilio Leal de Figueiredo
Direção e Roteiro: Felipe Dantas Seguro e Marcos Vinicius A. Santos
Fotografia: Felipe Dantas Seguro, Marcos Vinicius A. Santos e Nice Gonçalves
Montagem e Edição: Marcos Vinicius A. Santos.
Produção Brasil: Felipe Dantas Seguro e Nice Gonçalves.
Produção Itália: Antonella Tauro, Marco Molino e Vittorio Sabelli.
Tradução: Adriana Ferraz.
Dublagem: Adriana Ferraz, Marcos Vinicius A. Santos e Rejane Bar.
Classificação: Livre.

Serviço:
Lançamento do filme Dique: Cidade Aberta
Terça-feira, 26 de novembro, 21h.
Cine Roxy 4 – Av. Ana Costa, 465, Gonzaga, primeiro piso do Shopping Pátio Iporanga.
Gratuito – retirada prévia de ingressos na sede do Instituto (Rua Brigadeiro Faria Lima, 1349, Rádio Clube) e, no dia do evento, no cinema.

 

 

Leia Mais
  • Publicado por: Sarah Campos
  • Postado em: segunda-feira, 18 nov 2019 23:40Atualizado em: segunda-feira, 01 jan 1900 00:00
  • Cinema   Cine Roxy   Cultura   
      Página Posterior >>